Meteora e seus monastérios suspendidos no ar

12038346_1157762537584772_6761430784083848281_n.jpg

Eu bem sei que é difícil pensar em Grécia e não imaginar as ilhas de água azul, casinhas brancas, veleiros navegando naquele mar incrível, mas a Grécia respira história, mitologia, cultura, vale muito rodar e conhecer mais esse incrível país.

Um dos lugares que pouca gente comenta, e que é completamente fascinante, é Meteora e seus monastérios. Um lugar sereno e mágico, um cenário verdadeiramente inspirador. A viagem é uma experiência única, a grandeza da natureza em conjunto com a história , arquitetura e o desejo eterno do homem para se conectar com o Divino.

Meteora significa rochas no ar, o significado define perfeitamente o que se encontraao chegar nesse vale, onde gigantescos pilares de rocha emergem do chão, um conjunto de penhascos de pedra formados a mais de 30 milhões de anos. Mais surprendente que a própria formação natural são esses monastérios que coroam alguns dos penhascos, como suspendidos no ar ou encima do céu.

Os Monastérios foram construídos por monges que viviam como eremitas nas rochas gigantescas, algumas chegam a quase 600 metros de altura. Os monges procurando um refúgio seguro à ocupação Otomana, e um lugar para suas orações, encontraram nos rochedos inacessíveis de Meteora o local ideal. Foram construídos mais de 20 mosteiros mas, hoje em dia, apenas existem 6: Grande Meteoro, Varlaam, Ágios Stéphanos (Santo Estêvão), Ágia Tríada (Santíssima Trindade), São Nicolau Anapausas e Roussanou. No início acesso aos mosteiros era feito por cordas e escadas, depois por guindastes e apenas em 1920 foram construídas escadas de acesso.

O primeiro monastério, Grande Meteoro, é o maior e mais antigo de todos, foi fundado em 1336 por um monge chamado Athanasios e fica em cima de uma rocha de 536 metros de altura. Foi chamado o mosteiro, que foi " suspenso no ar " ( meteoro ), por causa da formação da rocha gigantesca em cima da qual ele foi construído. A igreja do mosteiro é de uma beleza única, toda revestida de afrescos pintados pelos monges, do chão ao teto.

O monastério de Varlaam é o segundo maior mosteiro. Ele está localizado em frente do Grande Mosteiro Meteoro e foi fundada em meados do século 14. O Monastério de Roussanou, em comparação com outras rochas onde mosteiros foram construídos , tem uma elevação mais baixa , o que torna mais acessível. O mosteiro foi inicialmente fundado por monges e sofreu graves danos durante a Segunda Guerra Mundial. Tornou-se um convento em 1988.

O Mosteiro de Holy Trinity ( Agia Triada ) é o mais difícil de alcançar, mas uma vez que você chegar ao topo a vista panorâmica dos arredores é simplesmente cativante.

Os monastérios de Meterora foram classificados como Patrimonio da Humanidade pela Unesco em 1988.

Como chegar: 

As cidades (vilarejos) que ficam no pé dos penhascos se chamam Kalambaka e Kastraki. O mais fácil é começar a viagem em Atenas mas, de muitos outros lugares na Grécia partem ônibus para essas duas cidades. Eu comecei minha viagem por Corfu, pois cheguei na Grécia pela Albania. 

De Atenas até Meteora são 375 quilômetros.

Os vilarejos são charmosos, possuem muitas pousadas, hotéis e pensões, além de bons restaurantes e cafés com comida grega. Em qualquer lugar se consegue informação sobre os monastérios, horários, excursões.

Uma boa dica é pegar o ônibus que deixa no monastério Gran Meteoro e descer caminhando, parando para admirar a paisagem, entrar em todos os monastérios. O preço do ônibus é 1,80 euros. A entrada em cada monastério é de 3 euros.

(preços podem ter sofrido alteração)