Como faço para viajar tanto

Como ter um estilo de vida nômade e viajar pelo mundo

Acho que a maior curiosidade que muita gente tem sobre meu estilo de vida é, como eu me sustento, como faço para viajar tanto. Eu sei, parece que estou sempre de férias. O segredo é, trabalhando… Pois é, não estou sempre de férias e ainda não inventaram magia para aparecer dinheiro ou fazer cair do céu, e olha que já pesquisei bastante. Mas sim, existem formas de trabalhar viajando e conseguir ter um estilo de vida nômade. Antes de contar como faço, vou explicar um pouco sobre os humanos, pela minha percepção, claro.

Nós, humanos, dessa sociedade louca, queremos ter coisas, acumular coisas, precisamos de muitas roupas, sapatos, televisão, bolsas, carros, telefones, computadores, pratos, garfos, colheres, muitos, mesmo que na casa more uma pessoa, bolas, coisas para praticar ginástica, muitas roupas para esporte, apetrechos para o carro, lustres, mesas, cadeiras, sofás, outro sofá, mais uma estante, quadros, uma cozinha, geladeira, fogão, taças, copos, vasos. Acumulamos comida e precisamos de potes para isso, sempre jogamos uma parte fora porque estraga. Temos cortinas, muitas roupas de cama, travesseiros, almofadas, capa de sofá, uma extra é essencial, controle remoto, pilhas. Quando temos um bebê temos que ter mais roupas, muitas, muitos brinquedos, quase sempre de plástico, cartões, jogos, video game, dvds, milhões de objetos. Nossas relações sexuais ou amorosas são cercadas de mais objetos, anéis, presentes, jóias, relógio, roupas, lingerie sexy, porta retratos. Se casamos duplica tudo, porque precisamos de muito mais coisas. As vezes só nos damos conta da quantidade de coisas que acumulamos quando temos que fazer uma mudança, pensa aí em uma mudança, todas aquelas caixas, o desespero, quanta coisa se junta. Nesse momento talvez refletimos o que é realmente essencial, importante para nossa vida humana confortável. 

Mas, meu texto não será sobre o comportamento humano e sim como viajar tanto. Como disse a vida é feita de escolhas, acho que o mais importante é ser verdadeiro com suas escolhas, sua essência, o que realmente é importante pra você.

A minha escolha até agora, porque sou mutável e estou sempre em evolução, foi explorar esse mundo, conhecer outras culturas, pessoas, línguas, cruzar os oceanos, sempre tive uma curiosidade e uma ansiedade de sair por aí sem planos. Com isso, fui entendendo que não precisava de tantas coisas, a cada viagem percebia que precisava de menos, que eu não conseguia carregar nem usar 10 pares de sapato e que ninguém nem percebia se eu estava usando o mesmo todos os dias ou a mesma bolsa. A cada temporada viajando comprava menos e me desfazia de mais coisas, carro, roupas, bolsas, pranchas. Quando entro em uma loja e fico louca de vontade de comprar algo lembro que não tenho como carregar e nem preciso usar, e já desisto. Mas isso foi progressivo e óbvio que ainda tenho uns ataques de consumo, vez ou outra é tão bom uma roupa nova, mas quando compro algo que amei tenho que me desfazer de algo pra caber na minha mochila.

Primeira dica: tenha menos coisas, assim será mais leve e gastará menos, sobrando mais dinheiro. Se for gastar, gaste mais com experiências. Um vinho será aproveitado da mesma forma e até melhor se ele for bom, estiver com as pessoas que se ame, amigos, família, amantes, pode ser em uma praia bebendo da garrafa, não necessariamente se precisa de muitas taças de cristais, uma adega, 5 abridores automáticos, um decanter, até porque depois da segunda garrafa a gente nem se lembra mais.

E com tantas coisas, temos muitas contas, temos que trabalhar muito, temos que sustentar essa vida, não podemos perder o emprego, e se não conseguimos outro, e seu eu gastar todo o meu dinheiro?? O medo nos faz menos seguros, nós faz mais reféns. Mas mesmo sem viajar e fazendo tudo certo as vezes perdemos o emprego, e percebemos que conseguimos nos virar, que vamos ter que encontrar outro ou encontrar uma outra forma, fazemos dívida, mas tudo certo, serão pagas em algum momento, talvez tenhamos que pedir um dinheiro emprestado, mas podemos fazer isso também, nem que seja para o banco, porque no final vamos conseguir resolver tudo, vamos ter que apertar em algumas partes e tudo certo, não é o fim do mundo. Então percebi que passar um tempo sem trabalhar não é culpa, que pode ser aproveitado de muitas formas, como viajando, aprendemos a gastar menos em coisas desnecessárias e no final, correndo atrás, sem apegos, conseguimos outros trabalhos.

Então a segunda dica: não tenha medo de ter tempo pra você. Não tenha vergonha de não trabalhar por um tempo, não pense que Deus só ajuda quem cedo madruga, só se for pra assistir o nascer do sol, que é um belo presente para quem madruga. Mas, isso de que só quem trabalha que nem um escravo é digno é balela da nossa sociedade do consumo. Quer juntar um dinheiro, ou fazer uma dívida para ter um tempo pra você? faça, será melhor que uma terapia, que é muito cara. Sabe como descobri??? Fiz um projeto maravilhoso em 2010, ganhei um bom dinheiro, me mudei para Barcelona, fiquei na casa de amigos e depois dividi quarto, viajei muito pela Europa, gastei até o último centavo, comecei a trabalhar em uma discoteca, o dinheiro que eu ganhava eu viajava pela Europa, depois de um tempo o patrão percebeu que eu era muito ruim fazendo drinques e me mandou embora, fiquei dura, comecei a gastar o dinheiro do banco, fiz uma dívida bem alta e voltei para o Brasil.  Demorou um tempo até que eu conseguisse outro trabalho, ia pra praia de bicicleta, levava frutas pra não gastar, levava garrafa de água, assim também não gerava lixo, continuava gastando o dinheiro do banco, afinal eles estavam me oferecendo. Em um momento, já mais dura que pau de tarado, bronzeada, com corpo lindo de tanta bicicleta, e mais inteligente com todos os livros que li, consegui um ótimo trabalho e paguei as contas. Esse foi um momento de trabalhar como louca, por mais de um ano sem parar, sem finais de semana, aproveitei esse momento, juntei bastante e depois de uma boa temporada, me joguei no mundo novamente, dessa vez mais organizada financeiramente rs deixei um fundo para parar antes de ficar tão endividada. E assim fui vivendo até agora.

Atualmente estou no momento gastar o que juntei, mas sempre consigo uma maneira de fazer um dinheiro extra. Vou contar um pouco como, que era o primeiro objetivo do texto.

Existem várias formas, a primeira é que estamos vivendo em mundo conectado, tudo acontece pela internet, existem vários trabalhos que podem ser feitos online, se você for bom de tecnologia, melhor ainda, o que não é o meu caso, mas mesmo assim tem muita oferta, basta procurar. Nas minhas viagens encontro muita gente vivendo de trabalhos online de todas as formas. Gerando conteúdo, com blogs, website, tradução, marketing digital. Vou colocar no final alguns sites para trabalhos como freelancer.

Não se defina ou se apegue, mesmo pela sua profissão, vale mudar um pouco para ter outras experiências. Claro, se esse for o propósito e o que você está buscando. Como eu contei, eu trabalhei em uma discoteca depois de fazer um projeto maravilhoso na minha profissão, mas valeu muito. Pode se parar em lugares e trabalhar por temporadas, seja em lojas, bares, hostels, restaurantes. Conheço muita gente viajando que faz isso e as vezes ainda se descobre novos talentos ou paixões. Um amigo da República Tcheca virou grafiteiro, outro australiano se mudou para o Sri Lanka e trabalha em um hostel, um virou chefe de cozinha. Novas experiências pode expandir sua visão de mundo e ajudar a expandir você mesmo.

Uma coisa que faço muito é comprar e vender produtos que acho interessante por onde passo, mando por correio e depois vendo para amigos, conhecidos ou pela internet. Tenho uma alma de mercador árabe andarilho, gosto de negociar, encontrar novos produtos, coisas que eu teria, mas que não cabem na minha mochila. 

Resumindo minhas formas de viajar tanto são:

Trabalhar antes e juntar dinheiro, depois passar uma temporada viajando

Trabalhos online

Temporadas de trabalho durante a viagem

Venda de produtos

 

Sites para trabalhar como freelancer

www.freelancer.com - um das principais plataformas, é possível conseguir Jobs no mundo todo. Em todas as plataformas no começo é mais difícil, mas depois de pegar alguns trabalhos e ter uma boa referência tem bastante oportunidade. Funciona em mais de 240 países e tem milhões de usuários. Tem trabalhos  em diversas áreas como desenvolvimento de software, redação, tradução, design, engenharia, marketing, contabilidade e serviços jurídicos.

workana.com.br - outro site que é possível conseguir jobs como freelancer nas mais diversas áreas. Funciona bem em toda a América Latina.

www.prolancer.com.br - Outra plataforma mundial com mais de 37 mil empresas cadastradas. Tem muito trabalho na língua espanhola. 

99freelas.com.br - já é bem conhecido no Brasil. Eu particularmente não gosto, acho que desvalorizam muito o profissional, acho os níveis dos pagamentos muito baixos, nunca consigo pegar nada por lá porque querem pagar nada por muito trabalho. Mas repito, minha experiência no site, pode ser que tenham profissionais que consigam bons jobs. 

www.freelancewebdesigner.com.br - Muitos freelas na área de web designer.

www.comunicageral.com.br - jobs para programador, web designer, profissionais de comunicação, marketing, design gráfico, internet e tecnologia.

    Deixe seu comentário, dúvida, sugestão ou se tiver alguma dica de trabalhar viajando comparte com a gente <3